Friday, 30 January 2009

O interior vale mais.


Olhando fotos de quando você se foi, outras

de quando você estava aí a pouco...e lembrando também

o que fazia pra se promover.

Estranhas imagens, você mais humana, mais real...

Finalmente começa a desbotar o cartaz de onde por traz dele com

seus olhinhos você se escondia, e posso ver então definida a tua

imagem por fim onde foi o encanto de sua propaganda.

Outra metade


A medida que a linguagem em sí se desenvolve

ignorância se dissolve, na mesma medida em

que a carne se transforma a mente se transtorna.

Se o novo se revela, curiosidade a flor da pele se

desmantela.

Artifício bem bolado, penetra no teu mundo apenas

o que o um dia foi desejado.

Promessa como a tua de vidro se quebra danificando

o que bombeia o sangue espalhando o líquido que

petrifica, metade do rosto, sua outra metade.

Thursday, 8 January 2009

Fabulosa


Casaco preto de LÃ cai e suja-se de marron,

agarrado por unhas vermelhas postiças que

logo envolve o pescoço fino que salpicado de

sardas carrega a garganta seca da bela.

Visão ofuscada, voz tremula num verso

recitado de melancolia. Saliva demora, mas

doce riacho que desce essa vala refresca agonia.

Ponta de língua alcançando uma lágrima no canto

da boca faz do sal a faísca que provoca e transborda

a mina à tão esperada saliva que agora escorre pelas

costas do amor gemendo por fim o prazer da dor.