Tuesday, 25 November 2008

Ao amigo

Muita paz e cor nessa caminhada breve que é esse plano e, todo nosso conhecimento será guardado por maior que ele seja, nada será em vão. Um fragmento minúsculo contendo isso tudo pra enfim compor a luz que iluminará nossas almas.Um grande abraço e saúde.

Sunday, 16 November 2008

Outro caminho


As vezes algumas escolhas e caminhos são tomados por impulso, bons, ruins...Deus sabe. As consequências disso nem sempre nos poupa de sofrimento, o destino traça a nossa linha de acordo com a velocidade dos fatos, como pólvora agindo sobre nossa aflição queimando fazendo-nos tomar atalhos ou pegar corredores tão estreitos que se quer podemos passar, e as vezes aquele tal caminho não teria sido traçado pra mim, quem sabe?!!Quem dera!se aquele caminho tivesse sido traçado por mim...

Wednesday, 12 November 2008

CorrosÃo

Ainda seremos por vidas o mesmo fruto
do que nos corrói na doce acidez que fere
entre a carne e a pele. Implosão inundada
de sentimentos, momentos passados e fatores
guardados pelo tempo devastando como lava
trazendo abaixo o nosso império corpo nas frias
mãos de nossa majestade o amor.

Monday, 10 November 2008

O novo e o velho.

Consigo sombrear a figura na tela que antes
era só abstrato, mas não tocar.
Poeira e vento atrasam a conclusão desse mito
tão simples quanto o preto e o branco.
Cabelo, barba e a batina branca compõem outro pedaço
da maturidade absoluta que rodeia a sanidade que vaga,
e que é afastada pra bem longe, quase à esquina do que me
faz pensar que continuo capaz de agir sem pensar, coisas
simples sem más consequências, o hoje somente.
Faço então dessa outra metade que me resta e em completa
transição mutante o que não me deixa escolha, o que vem
e forma mudanças evoluindo simultaneamente pisando nos
cacos de fatos passados me equilibrando pra não cair em desespero

à espera de uma imagem bater com a outra no espelho.

Tuesday, 28 October 2008

Os sábios quem mais?!


Interessante a duvida se comparar aos frutos numa árvore

no quintal dos que se preocupam com o amanhã, a árvore

cresce...então os frutos que na incontrolável euforia da

espera aos poucos são retirados, batalha contra o tempo,

sabedoria obtida ao longo bem antes até da pedra lascada,

casca bem mais grossa agora, evolução que não chega nunca...

pressa essa que desmoraliza o ego do sábio que luta contra

a própria falta de conhecimento, que ridiculariza sua imagem

porque o futuro já devia estar aqui, vejo que a impaciência

continua quebrando o clima entre quem retira os frutos à

mais um degrau importante pra o conhecimento.

Saturday, 25 October 2008

Aquela uma.

Rosto aliviado que descansa sem culpa sobre a palma da mão
de seu amado, que então acolhe, perdoa e suspira calmamente
já esquecendo o que havia te arrasado.
Gargalhada gritante de baixo semblante, som emitido pelo corpo,
expressão expelida pela alma, baixo teor de alegria onde a tristeza
já de saída passa e acena desesperada pra freiar o carro e criar mais
um caso. Lugar estranho, e que vento frio!Dessa vez sinto que vou descer
o barranco arrastando as costas no chão, mas que diferença faz não sinto
mais nada mesmo já faz um tempão!? Como se a alma tivesse sido posta dentro
de um pano, amarrada e coberta de socos pesados ferindo-a e escoando então
todo o líquido que umidece e retém o calor do corpo e mantinha a lucidez.

Saturday, 18 October 2008

outro plano

A vida é uma locomotiva e repleta de estranhos comandos
e ajustes, desviando-se das vontades inadequadas perseguidas
por nossa desvairada loucura que assim parte na neblina coletando vagões,
dando direçoes e formando trilhos através do êxito brilhante, do triunfo.
Na bagagem liberdade, na coleta conhecimento numa longa viagem e com
uma parada apenas. Ela nos leva a vários estados de espírito, inúmeros e
diferenciados estados psicológicos e de humor.
Damo-nos então por nós mesmos procurando equilíbrio na linha do horizonte
onde a parada será breve, se a viagem não for interrompida é claro!e é onde
também que alguém que viria no próximo trem firmara os olhos e sentira o
vento com o rosto na janela, bem curioso, assustado, o inesperado, imortal desejo de conhecer o outro lado da moeda e o próximo plano.

Friday, 17 October 2008

apos a dor...


Embora a lágrima ofusque a visão e rolando

na face abra caminho pra outras descerem,

ela é capaz de aguar contornando os lábios

livrando o sorriso que implora florescer.

Saturday, 11 October 2008

água

Quando toda água já tiver rolado por baixo da ponte e
animais sedentos separado da lama a ultima gota das poças,
a árvore seca do barranco se curvado por um gole dando sua
espinha às aves, esqueleto de um bicho qualquer sob o sol no
aterro, formiga fabricando sua estrada naquela pressa de se quer
por sua carga no chão... Será então um pouco tarde pra sentar-se
a beira desse rio, atirar pedras, grafar seu nome com o dedo na terra fina,
quebrar gravetos...e chorar.

Saturday, 4 October 2008

meu entao, amigo.


Ficarei contente ao partir se o sorriso no rosto
dos que se dizem meus inimigos aflorar-se
expontaneamente, mudando seu próprio curso
trazendo-os pra perto do que só em sonho era profundo.
Maldita falta de sensibilidade despertada no meio da noite
por um prato quebrado largado das mãos do juízo,
bondade nos olhos, sorriso malévolo, desleixo consigo,
cicatrizes que somem... o tempo é a bebida predileta da
consciência
.

Tuesday, 23 September 2008

Pancada de vento

A fina e severa chuva mostrava a realidade,
raízes se arrancavam com o vento que ainda
as levavam pra longe tombando-se por toda parte.
Na mesma corrente de ar inevitável que planavam
aves prendendo o fôlego, havia por certo magia...
Dourada poeira largada do alto, mão certa e imensa,
vai, vem e alimenta, empurra o desespero até o ultimo minuto,
dissolve o problema na hora perfeita, por certo magia...
Trabalhar tão pesado é o que silencia

num rosto caboclo cortado de açoite
os gritos do parto no meio da noite
sorriso e a dor, o sangue e o suor...
em toda energia que se inicia
o olho irradia por certo magia...


Friday, 19 September 2008

Coma por segundos

As gaivotas devoravam ao extremo voraz
do absurdo peixes triturados deixados pra traz
pelo Ferry, e no rosto lindo da criança que chorava
via minha juventude, e meus olhos fechavam lentamente
congelado nas imagens e no zunido das asas de todo o imaginário,
agua corrente, inocência selada, jardins vandalizados, esoterismo
incontrolável...O meu Eu sendo mimiografado por minha memória e mostrado
friamente por segundos apenas, tempo suficiente pra queimar toda fiação que conecta e diferencia o fato lógico do irreal irracional.

@cidez


O amor é o ácido lático do coração,

que na prática se transforma em prazer

que pode perdurar se não alimentado

através da visão, lágrima é secreção

de tal dor muscular.

Wednesday, 17 September 2008

Morte

A morte é um corpo que lentamente cai na pureza
da pluma queimando a antiga folhagem e
espalhando a fuligem que outrora foi alma,
matéria esquecida, conhecimentos retidos
em sagrados punhos e então lançados a uma
nova promessa de vida.

Thursday, 11 September 2008

Novo elemento


A tua presença e a luz do sol são constantes e
estão paralelamente correndo para dentro do universo,
por toda parte, exceto quando a noite vem...
quando os planetas se viram de costa...
quando as estrelas coladas no teto do quarto desbotam-se perdem
sua forca ou sua cola caem ou se apagam...
quando o corpo se deita só,
quando uma lágrima cai numa pia seja ela de ouro
ou num ribeirão sozinha e pra sempre perdida se despedaça,
teu reflexo então se evapora e
respira alucinada tal marizia
que de fininho sai pro sereno que
chega para se deitar, sobre flores,
sobre o Ipe, orvalho , cidreira, no capim...
e a vida renova seu hálito a cada manhã
trazendo em si a dor e na boca o amanhã
é outro dia.

@dri

Friday, 5 September 2008

Parabéns

Cara a cara
um passo a frente
piscar de olhos
dois segundos apenas
beijos no rosto
e o movimento do ar
em sua retirada
circulando em voltas
deixando o cheiro
do conjunto que então

se move,deixa marcas...
prefere não dizer e sim concluir.

Thursday, 4 September 2008

armadilha


O coração é a única arma de nós usadas contra nós mesmos, e somente nós mesmos temos a capacidade de acalmá-lo, cessar o choro, não ir além, ficar suspenso, pairar...e torcer pra que haja uma resposta, porque a feição do rosto é o que faz calar a alma.

Saturday, 9 August 2008

Candura

O significado da poesia Brasileira
sorrí sarcasticamente aos grandes poetas
internacionais renomados
gabando-se de uma perfumada flora,
gosto de frutas, cheiro e marizia de praias,
gente e sertão...
fervor de palavras não compreendidas
trazem somente o olhar vago,
na ausência de malícia,
na falta de culpa,
candura...na inocente face desses homens.

Wednesday, 6 August 2008

infra-azul

O erro da conclusão de nossa expectativa permanece,
intacto e ainda inalcancável, inatingível, inatacável...
pela dura e alta exigência de aceitar
as pessoas como elas realmente são.

dimensÃo


A Saudade da minha infância me faz ver as rodas virarem em outras direcoes, mesmo assim eu não soletraria o HOJE como se soletra desastre.

Somos o que somos e o destino é uma planta extraordinária.



Friday, 1 August 2008

Nao se apavore.

A solidão só apavora se houver o medo de descobrir o que há dentro de sí,
Buscar lugares enriquece a tua alma,
Outro idioma é o zíper pra abrir a bolsa que contém todas as dicas que você precisava pra buscar lugares,
Dentro de sí pra descobrir o medo basta se deixar tomar pela solidão.


Adri@no.

Thursday, 31 July 2008

Perdida



A Moca que se casara por dinheiro
hoje usa uma aliança grossa
pra cobrir uma cicatriz
que ela tem no dedo...
e a outra aliança
com a tristeza,

com a dor,
sem o dom,
sem saída,
sem ajuda,
enfim...


na acidez das lágrimas
que queimam os seus olhos
também vai fundo
marginal sem direcao
queimando em vão
a quem outrora
deveria se postar
como senhora
mas sem noção

nem direcao
Na ousadia
Hoje eu diria
que tu não te importarias
de pedir perdão

Monday, 28 July 2008

Avó

Aprenda o que queira e use pra sempre,
Num toque dos dedos
espinha curvada
da linha ao novelo
agulha e o segredo
do ponto e do no
sinal de cansaço
mas não de fracasso
de toda vovó.

Tuesday, 15 July 2008

Escudo.


Que o sorriso sempre seja a arma pra derrubar todo e qualquer pensamento ruim de encontro a pureza da tua natural beleza.

Tuesday, 1 July 2008

Partida.

Se chorando irrigas o amor
Tuas lágrimas afogam meu sorriso
Inundando de saudade minha face
Escondendo a euforia em cada gota.

Segundo Melhor

Diego Maradonna
Pisou e matou o gramado
da propria fama.

Fora do serio.

Pisar nos cacos do teu ódio
Moendo-os a pólvora
Para os canhões
que guardam tua calma.

Potoca.

Palavras extras nescessitam de um sentido direto e comum,
ou o essencial nao tem mais valor?

Bandido na moda.

Para cometer crimes contra
a sociedade eles nao precisam de armas...
Terno, gravata e um cargo politico bastam.

Povo pavil

Fazer fortuna na politica
Eh continuar lutando
Pela desinformação
popular.

Mundo

Me inspire pra escrever todo esse cio,
Depois volte se despindo de harmonia névoa
E energia lua.

Desfrutar

Desembolar ,
Desfiar palavras...
Desfrutar o enigma solucionado
Provar o novo e inesperado
Voltar a estar do teu lado
E jamais me sentir enganado.

Molhado.

Ver você eh banhar
Toda tristeza e decepcoes
Na transparência da espuma da calma.

Magia

Posso descobrir tudo sobre sua vida
Lendo minhas próprias mãos
Que teem os mesmos traços das suas.

Adrian

Quando chegar ao topo
Mergulharei na tua infância
Boiar nas suas lágrimas de riso
Abraçar tudo! mas que ainda e pequeno.

Fruta

Só preciso de uma vela durante o jantar
pra acender tua paixão, e o vinho doce
feito da fruta do seu corpo só beberam
aqueles que conhecem a saliência.

O proprio umbigo.

Estou sem nenhum ponto de referencia
e meu amor me deixou somente pra
fazer reverencia a sua própria existência.

Perfeccionismo


A Fundação e a base de um objetivo

parte do abrir os olhos no inicio dos

detalhes principais do começo.



Monday, 30 June 2008

Seja voce.

QUE A MAGIA DO GOSTO DA BELEZA NUNCA ALTERE O QUE DE DENTRO FAZ RELUZIR.



adriano Carrijo

Thursday, 26 June 2008

Corrente


Deixe o cansaço tomar os goles de resistência

Vinda da forca de vontade de viver

Traga do fundo o que sente

Passe isto pra mente

Torne isso dormente

Pra que seja descente

E me soltar da corrente

@lma Vadi@


Valeu prata

Ter visto todas as minhas poesias através de você

Bronze a tua estátua

E ouro pra banhar

e cobrir tua alma de gentilezas.

Vagao Perfumado


No cabelo

Nos olhos fechados

Com o dedo na boca

Sinto todo o seu cheiro por baixo da roupa

Pensando longe em toque sutil

Os pés dançantes a que ninguém viu

A língua no lábio que mostra o desejo

De um lado calado de todo gracejo

Wednesday, 25 June 2008

Palavras molhadas



Deitar na sua vida

Ter suas palavras pra me banhar

Teu beijo pra espumar

Seu sexo pra relaxar

A tua mente e a minha pra disciplinar

Papai e mamãe

ainda podem criar

quem veio ao mundo

a calhar

pra juntar e selar

Pensamento de dois gumes





Selvagem sentimento sem sentido,

maltratado, sem ganancia,

massacrado pela pele tão distante

e assombrada.

A Ignorância refletida que atacada

por palavras que assustam e martelam

na cabeça como faziam os Alemães.

Assim eh o amor não quisto.

Como eu queria.

Desejei, não ocorreu



Andar e afundar me leva a crer que esquecer,
que amanhecer, não vem dizer que aquecer te leva a ser
a mais bondosa, a sensual de fina prosa,
a mais bonita que acredita
em um momento e o tratamento
a que eu lamento por não ter.

Sede...cultura...


Fome




A fome do terceiro mundo

eh o assunto em debate

dos famintos pela leitura

do primeiro.

Cartinha alegre a Leoncio

Cresca,



Sabendo que o amor e o ódio são os sentimentos mais próximos um do outro, venho de cara, de mãos limpas,nada ofendido pelo furor das tuas palavras, porque seu ódio me faz crescer cada dia mais forte e uso como um mago a sua mediocridade como manivela pra que cada dia seja um recomeço, simples e sutil! enquanto cresço e me farto de conhecimento as custas da sua ira mas relutante creio a fio, na tua drástica mudança de atitude num todo, ate que sua arrogância e rebeldia se derem por vencidos!

raca unica




Raça Única


Nos olhos a pureza
Na pele a incerteza
Crença a ferro e fogo
Dilemas se formando
Racismo desde quando?

Governo sabe e pisa
Verdade que agoniza
Burocracia
Quem precisa?

A raça mescla e vai
Alastra não destroi
O sonho que as vezes dói
Cansado de ser jogado
De banda e de lado
Numa mesa de senado
Então ser julgado
E depois condenado.

Monday, 23 June 2008

Linhas na carne


Voce foi a mulher que mais amei

por que foi a unica que soube

fingir que me amava.



Adriano

Cidades em po, almas perdidas.

Cidades em po, almas perdidas - retrata o desabamento interior humano em relacao ao sentimento perda, falta, desengano, engano, ilusao, desilusao, frustracao, traicao, odio, paixao e os dois lados que o amor pode levar o coracao a sentir: O amor odio ou o odio amor.