Thursday, 11 September 2008

Novo elemento


A tua presença e a luz do sol são constantes e
estão paralelamente correndo para dentro do universo,
por toda parte, exceto quando a noite vem...
quando os planetas se viram de costa...
quando as estrelas coladas no teto do quarto desbotam-se perdem
sua forca ou sua cola caem ou se apagam...
quando o corpo se deita só,
quando uma lágrima cai numa pia seja ela de ouro
ou num ribeirão sozinha e pra sempre perdida se despedaça,
teu reflexo então se evapora e
respira alucinada tal marizia
que de fininho sai pro sereno que
chega para se deitar, sobre flores,
sobre o Ipe, orvalho , cidreira, no capim...
e a vida renova seu hálito a cada manhã
trazendo em si a dor e na boca o amanhã
é outro dia.

@dri

No comments: