Tuesday, 23 September 2008

Pancada de vento

A fina e severa chuva mostrava a realidade,
raízes se arrancavam com o vento que ainda
as levavam pra longe tombando-se por toda parte.
Na mesma corrente de ar inevitável que planavam
aves prendendo o fôlego, havia por certo magia...
Dourada poeira largada do alto, mão certa e imensa,
vai, vem e alimenta, empurra o desespero até o ultimo minuto,
dissolve o problema na hora perfeita, por certo magia...
Trabalhar tão pesado é o que silencia

num rosto caboclo cortado de açoite
os gritos do parto no meio da noite
sorriso e a dor, o sangue e o suor...
em toda energia que se inicia
o olho irradia por certo magia...


1 comment:

Felipe Lucchesi said...

Belas palavras ! Legal seu blog ! Abração ! Se cuida !