Friday, 19 September 2008

Coma por segundos

As gaivotas devoravam ao extremo voraz
do absurdo peixes triturados deixados pra traz
pelo Ferry, e no rosto lindo da criança que chorava
via minha juventude, e meus olhos fechavam lentamente
congelado nas imagens e no zunido das asas de todo o imaginário,
agua corrente, inocência selada, jardins vandalizados, esoterismo
incontrolável...O meu Eu sendo mimiografado por minha memória e mostrado
friamente por segundos apenas, tempo suficiente pra queimar toda fiação que conecta e diferencia o fato lógico do irreal irracional.

No comments: