Saturday, 5 December 2009

Visao interna


Dona de suas proprias palavras e expressoes
que se calam por um momento unico do consciente .
O mundo exterior se congela, ausencia do audio...
Nesse instante tudo se torna invisivel pra que essa
pausa possa ser chamada um dia de reflexao. Por fora,
o olhar inaucansavel, a verdadeira distancia entre o corpo
e a mente e harmonia entre o tempo e a intrigante visao.
Mas a mente mergulha, cada vez mais fundo e brava no vasto
sargaço em busca da paisagem submersa, pra trazer de volta
o alivio e o conforto da alma.

Wednesday, 25 November 2009

Constancia


Enquanto isso... No subterraneo de nossa calma,
sao preparadas as porcoes quimicas que serao
adicionadas as nossas lagrimas. A unica vantagem
que temos eh a dosagem de acido, que por decisao
de nos mesmos veem medidas que se descontrolam.
A corrosao nesse processo so depende dessa
quantidade que voce acaba adquirindo atraves
do emocional e algumas vezes espiritual. A paz
interior corta a acidez e o caminho nem sempre
estara disponivel, e eh por isso que a busca eh, e
sera sempre constante.

Monday, 23 November 2009

Distrito de quintal.



Concordo que a arquitetura vale bastante no caso de Brasilia mas, Brasilia eh feita de pessoas que identifica e forma uma identidade individual sem palavras devido a miscigenacao e cruzamento de etnias e eh por isso que esse lugar prende tanto os coracoes de quem mora(mesmo nao sendo de Brasilia), de quem ja morou la e nao param de pensar um segundo se quer... em voltar.

Thursday, 19 November 2009

UFO's


Desmascarar e tomar partido das armas nucleares e toda a tecnologia
que vem sendo escondida pelos cientistas e governos para que a infancia
da humanidade possa pular pra um galho mais alto dessa arvore que vem
sendo podada pela nossa propria ignorancia.

Friday, 13 November 2009

que tempos...


O mundo em volta de mim pode ate estar vendo esse chao aqui de maneira
diferente que estou. O valor desse mesmo chao pode ate estar escondido
atras de uma placa numa subida na estrada, que nesse instante congestionada
nao consigui ve-la. Nem sei se sera possível ver o que realmente ha escrito
ou que tipo de mensagem esta me reserva. Prudencia é o que mais existe nesse
caminho, por que ele é lento. Mas, as visoes vao longe, bem longe... e cada vez que
saio de dentro do imaginario caio sentado aqui, roendo as unhas me perguntando
por onde andei e pra onde foi a tarde... engracado como o tempo voa. Aprendemos
a voar com o tempo, a ser-mos firmes com as tempestades do tempo, a sorrir também
com o bom tempo e os velhos e bons tempos.

Saturday, 7 November 2009


As vezes a alma ordena o silencio em profundidade pra dentro de nos
para que os gritos aos prantos pecam perdao.
Por nao dividir-mos a mesma cicatriz.
Pelo brilho dissolvido e devorado pelo escuro.
Pela mao fechada que a vida se quer importou-se de abrir.
Pelo trinco da porta que mesmo ruido, esfarela-se no ferrugem
que se aprecam por si, pra se livrarem do mau, de certas imagens,
obter alegrias, secar as lagrimas...
Cores ja existentes que perecem num tom de cinza, meio fosco...
mas que triunfa atraves da metade da jornada em direcao ao mundo exterior,
que atravessa brutalmente essa rustica porta de porao, carcere talvez...
entre a capsula matriz do tempo, O utero, a vida passada e o proximo plano.




Saturday, 3 October 2009

...depois de tanto tempo.


O suor do teu corpo é o ácido mais perfeito da química,
que queima docemente... e a lágrima desce para lavar
meu rosto sem folego, afogado em soluços que sugam
minhas forças abrindo meus ouvidos a cada um deles
me fazendo perceber que ainda estou vivo mas quase na
irrealidade, quase acreditando que gotas entre minhas
pernas no chao sao gotas de sangue, e as que escorrem
em minhas pernas sao tuas maos, seu toque de saida...
um até logo... que se tornou um adeus, depois de tanto
tempo...

Sunday, 20 September 2009

Contra nos


Saiba que a expressao "em vao" nao se encaixara
jamais se lutarmos aliados ao tao silencioso proposito,
que, alem de guardar segredos age com energia oposta
a nos mesmos.

Thursday, 11 June 2009

Espelho da escola


Onde sorríamos em dobro.

Gestos, gírias, caras, caretas engraçadas e manias.

Anéis, alianças de compromisso feitos apenas com o desejado,

planejado pelo subconsciente que acreditava que o futuro era

distante.

Na lente da camera a alegria sublime, extrema.

Espelho respingado de agua que escorria sobre a boca

feita de baton e brilho.

Conversa seguida de riso, riso seguido de gritos felinos.

Sentadas no chao, conversa fora, descascar o esmalte barato,

hora do almoço...

Talvez eu tenha esquecido o nome e o endereço de todas elas,

mas me lembro o quanto fomos felizes,

o quanto os sonhos eram verdadeiros,

o quão verdadeiro eram os amores.

Wednesday, 10 June 2009

Lendas e tendas

Moderar linguagem
Segurar vontades
Armar tendas de ilusões onde eu possa meditar
Lendas que fizemos parte
e que nos levaram a acreditar
Seu corpo pra apreciar
levou esse tempo todo
pra reencontrar
Lendas e tendas
pra contar e armar
Dentro delas
nos acharemos
de volta ao mundo
bem devagar

Tuesday, 9 June 2009

Agua e sal

A tua infância parece tão longe agora...
Mas tenha calma!
Teus olhos continuam puros e tua pele fresca,
manipulando o tempo e atrasando a hora.
Meu coração cheio não consegue se expressar mais,
vive calado, forcado a se encolher e calar-se mais
profundamente velando a espuma que se desfaz,
pequenas correntes feitas de minúsculas bolhas de
oxigénio, agua e sal... o fosco no lugar do brilho, o
medo no lugar do chão, a prata coberta de chumbo,
ferrugem, farelo e sermão.
A força sem escolha então, substituída a ferro e fogo
somente por uma fração..: de minutos, de dores, de
ardor, incolor, sem pudor...
Olhos cegos que sabem onde vão,
fechados na escuridão não,
Monitor pra um coração sem perdão
nas mãos de quem já perdeu a razão.

Thursday, 4 June 2009

Ate a vontade passar


Inquieto, tranco todas as portas e possibilidades
da mais penetrante agonia, que mesmo assim espera
que sob a fúria de sí eu me renda a tal superiodade
por meio das circunstancias. Perdido em meio
arrogante vapor que sopra esse rosto nobre que sofre
calado, mas que busca a sorte entre as frestas e ranhuras
nas paredes do castelo que ela mesma projetou. Busca essa
à muito perdera a urgência e hoje...engole o choro sem lamúrias
enxugando uma ou outra lágrima.

Sunday, 17 May 2009

Reciclagem

Essa sede também existe em mim, aprender mais e mais.
Significa que quando deixar-mos essa cápsula(corpo) que nos atravessa por esse planeta,
o que temos de conhecimento será reciclado de maneira que o melhor de sí será com certeza usado de uma forma que não estou louco pra conhecer mas intrigado com a técnica que isso será feito.

Monday, 11 May 2009

Ausencia

O resultado dos sonhos curtos frustra tanto
O que faço no momento é usar esse
sentimento como uma ponte num vale
muito lindo onde eu possa ver tudo la de cima
e esperar que o final dessa ponte chegue, sem muita euforia.

Sunday, 10 May 2009

Swing e criatura


No Brasil o samba

Na Jamaica o Reggae

Na Índia o Gàtkar e Ted(a dança do Ventre

Na Etiópia Skisda

Na África o Dumbulue...

A vida entre a minha pele a e tua

onde se misturam Swing e criatura.

Em outro lugar


Mostrar o medo é estar encapado

pela culpa que só fortalece a

discriminação da tua raça.

Calmante

Passar a língua na palma da tua mão
definiu-se surpresa pelos nervos se
entregando à tensão.

Vai timbora

Não diga adeus
Não olhe pra traz
Descida do morro
Descida o caminho
Lembrança perdida
Um dia verás que
a partida foi sua
E o tempo não volta
por tua loucura.

No importa onde


O espírito estará pronto quando sentires

que o importante é o que se está fazendo,

não importa onde.

Dia a dia

Uma faísca durante o trabalho pesado
pode ser uma luz para o futuro.

Impulso


A repressão pode ser a compressão da
catapulta que te lançará para o
desenvolvimento e sucesso.

Tuesday, 21 April 2009

Esterlina

Assim como as mãos que descem dentro d`agua
revestida pelo frio e pelo roçar de bolhas minúsculas
são os meus olhos, que transportam a mesma faiscante,
cintilante e brilhante sensação efervescente da linha que
contorna teu lábio, dos dentes que compram tua causa e te
fortalece numa luta predatoria e não de egoísmo
Nos olhos que vagueiam simples e sem maldade
Na juventude que agarrada numa corda se despede
e logo é arrastada aos berros

Mas que ainda tenta se acalmar
e vai ficando por mais um instante,
Entre o frio e o fervor disso tudo
vejo minhas mãos sendo então
retiradas da água,
e tudo escorre entre os dedos
mas o frio permanece
descolorindo ainda mais
a minha palidez .

@dri

Monday, 6 April 2009

Estrela

Espero que todas as flores e lirios dos jardins por onde você passou hoje tenham tido a sorte de ter florescido à tempo, pra te ver, pra viver, pra sorrir, pra aprender... Pra ter certeza absoluta de que quando cair uma gota de chuva em sua pétala perceber que não esta sonhando, que ela realmente existe.

Saturday, 4 April 2009

Sinhazinha

Segurar a mesma caneta que passou por suas mãos
Jamais possuir o dom de expressar com palavras
mas imitar tua grafia
Socorrer a flor que você chutou sem querer inundando
um jardim inteiro de medo
Acreditar que quando você jura por tudo do fundo do coração
e da alma seria verdadeiro
E o que se torna critico, tentar provar isso pra si mesmo
se a alma e o coração pertencem a você
Mas, humilde e quase curvo em reverencia me ponho
de olhos pequenos que sorriem
Imaginando o roteiro que faria num filme de época
somente por passa-los sobre teus lábios por um só instante
E gentilmente me despediria com um tradicional e
desastrado, Até logo!

Monday, 30 March 2009

Silenciar

Do coração a explosão da mente
Do ar a centenas de fragmentos e cores
Boca e sombracelhas desenhadas
No meu peito
Lágrimas que queimam, como vela
Pingos de vela, acalmam
Magia única da tua carne que envolve
tamanha pérola chamada teu útero
Nossa imagem, desejo
Nosso filho, o reflexo
Olhar bandido que me arranca a roupa
que me trás de volta
que me cala a boca...


Sunday, 29 March 2009

Alma viva

Existe razão pra que as coisas aconteçam e sabemos que nosso crescimento interior vale muito mais, o espírito carrega isso consigo e o descanso do corpo engrandece a alma fazendo pigmentar uma nova cor no universo trazendo mais alegria as vidas que ainda andam por cima desse planeta, num todo.

Friday, 13 March 2009

Amor de India


Inspiração de toda poesia,
Clique no exato momento ao arrancar uma flor ou pisar em qualquer que seja a forma de vida nesse planeta, purpurina que cai num rosto exposto ao azul, com um sorriso que leva direto ao foco de quando criança escorria outra lágrima desse mesmo riso, pra sempre alegria na tua tribo, amor de índia, pedrinhas ao rio, areia entre os dedos, telhado de palha , toalha branca e agua pura no nascimento de sua cria, suor no teu rosto, bocas e dentes surgiam felizes da noite, sereno, aguardava seu destino a vinda de sua pequena e ja tao amada princesa.

Monday, 2 March 2009

Muro virtual


Boca minha sem céu nem estrela,

Beijo doce do acido puro extraído

Do medo que vira desejo.

Agua morna em teus pés de joelho despejo,

Árvore seca no rigoroso inverno me torno,

Mas vivo fico o suficiente pra testemunhar e

Essa interminável falta do sorriso.

Encheria minh`alma de alegria se não fosse

A petulância do acaso, que faz arder cego e sem rumo.

Por deixar a meia luz de porta escorada já soprando

A vela que fazia brilhar no escuro a lágrima que minha

Tristeza enviara por email para a tela que surge no muro

que nos divide quando fechas os olhos.

Friday, 13 February 2009

Vento perdido


No gracioso brilho da prata no fundo do rio

que nos assusta ao vê-lo perdido,

fora de alcance como a sombra de um

pássaro que voa rápido e rasteiro,

como gotas que secam numa folha la no alto

e que se esquecem de suavemente cair.

Ilusão a linha reta a margem do mar negro,

olhos vermelhos no deserto contra o sol tomando na cara a

poeira e o ar seco levado pelo vento e que não

conseguimos seguir, porque ele vai por todas as direcoes,

assim como o nosso destino, trazido por ele também mas que

segue diferentes caminhos, alguns se perdem, outros ficam perdidos no vento...sem destino...

Wednesday, 11 February 2009

Toda livre


Faca do tempo e de sua alegria sua maquiagem,

deixe sua alma correr livremente escolhendo os

próprios caminhos.

Invada o seu próprio eu de fora pra dentro

e descubra que a humildade estende o braço

como uma criança perdida num espaço infinito

que nos aguarda.

A Alegria é dada, a paz conquistada, segurança

intima que trás o talento só o tempo...

Salgada e indigeste mania

traria um dia o que de certo morria

Sentada e olhando pro chão

vergonha da fria e eu dizia:

- Aqui lhe dou minha mão.

Não diga não e nem peca perdão

Maturidade e humilde te invadiu,

você descobriu.

A sua maneira, como pedreira

dura a verdade

Agora vá e beba sua liberdade.

Tuesday, 3 February 2009

Moinho escondido.




Os sonhos se movem graças aos desejos escondidos atrás da porta do prazer em nosso subconsciente.

Friday, 30 January 2009

O interior vale mais.


Olhando fotos de quando você se foi, outras

de quando você estava aí a pouco...e lembrando também

o que fazia pra se promover.

Estranhas imagens, você mais humana, mais real...

Finalmente começa a desbotar o cartaz de onde por traz dele com

seus olhinhos você se escondia, e posso ver então definida a tua

imagem por fim onde foi o encanto de sua propaganda.

Outra metade


A medida que a linguagem em sí se desenvolve

ignorância se dissolve, na mesma medida em

que a carne se transforma a mente se transtorna.

Se o novo se revela, curiosidade a flor da pele se

desmantela.

Artifício bem bolado, penetra no teu mundo apenas

o que o um dia foi desejado.

Promessa como a tua de vidro se quebra danificando

o que bombeia o sangue espalhando o líquido que

petrifica, metade do rosto, sua outra metade.

Thursday, 8 January 2009

Fabulosa


Casaco preto de LÃ cai e suja-se de marron,

agarrado por unhas vermelhas postiças que

logo envolve o pescoço fino que salpicado de

sardas carrega a garganta seca da bela.

Visão ofuscada, voz tremula num verso

recitado de melancolia. Saliva demora, mas

doce riacho que desce essa vala refresca agonia.

Ponta de língua alcançando uma lágrima no canto

da boca faz do sal a faísca que provoca e transborda

a mina à tão esperada saliva que agora escorre pelas

costas do amor gemendo por fim o prazer da dor.