Saturday, 4 April 2009

Sinhazinha

Segurar a mesma caneta que passou por suas mãos
Jamais possuir o dom de expressar com palavras
mas imitar tua grafia
Socorrer a flor que você chutou sem querer inundando
um jardim inteiro de medo
Acreditar que quando você jura por tudo do fundo do coração
e da alma seria verdadeiro
E o que se torna critico, tentar provar isso pra si mesmo
se a alma e o coração pertencem a você
Mas, humilde e quase curvo em reverencia me ponho
de olhos pequenos que sorriem
Imaginando o roteiro que faria num filme de época
somente por passa-los sobre teus lábios por um só instante
E gentilmente me despediria com um tradicional e
desastrado, Até logo!

No comments: