Saturday, 5 March 2011

Janela de mim Guarani

Da janela do teu rosto

Pensamentos

Madrugada se pega

Se beija e se casa

Com o silêncio

Num véu de sereno

Que expulsa o perfume

De plantas e flores

Sobre um corpo

Moreno


Ladrilho de pedra

Na praça

Deixado para trás

Saudade no carnaval

Prometo

Nunca mais


Na crença divina

Percebi que em tal festa

Nem purpurina

E você colava

Tão sensível quanto minha boca

Que orava

A teu retorno esperado

De mim esquecido

Chamado um dia

De amado

No comments: